IADIG - Iguaba Grande

A realidade da liberdade

18-12-2010 15:33

 

Freqüentemente, ouvimos as pessoas falarem sobre “liberdade”. Normalmente, os movimentos políticos, de uma forma ou de outra, fazem grandes proclamações sobre “liberdade”. Um estado nos Estados Unidos ostenta o lema: “Viver livre ou morrer”.

De fato, a liberdade é um assunto muito complicado. A palavra significa coisas diferentes para pessoas diferentes em contextos diferentes. Nem sempre é fácil determinar exatamente o que as pessoas querem dizer quando falam sobre “liberdade”.

Uma coisa, entretanto, é certa: quando Deus criou os seres humanos, Ele os fez como seres morais, e para que as pessoas sejam verdadeiramente morais, precisam ter liberdade moral. Em outras palavras, precisam ter a capacidade de escolher o que é errado, se quiserem. Se não tivessem essa opção, realmente, não poderiam ser livres.

O que está implícito nas palavras de Deus a Adão? Como a liberdade moral de Adão é revelada nesses textos?

Gênesis 2: 16 E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, 17 Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

Em Gênesis 3:1-6, vemos a liberdade moral conferida a Adão e a Eva. Por que Deus lhes advertiu a não comer da árvore se não tivessem recebido o poder de escolha? Conseqüentemente, vemos seres perfeitos, em um ambiente perfeito, com liberdade moral. Bem no fundo da existência humana, a realidade de nossa liberdade logo ficou aparente.

De que forma Adão e Eva exerceram livre-arbítrio? Em cada uma dessas fases, como eles poderiam ter feito escolhas melhores? O que podemos aprender desses textos sobre as escolhas que fazemos?

Gênesis 3: 1 Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? 2 E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, 3 Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. 4 Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. 5 Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. 6 E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.

A liberdade moral humana deve ser algo muito importante aos olhos de Deus. Afinal, pense em quanto Lhe custou quando abusamos dessa liberdade. Esse dom é tão sagrado, tão fundamental que, em lugar de negá-lo a nós, Deus estava disposto a enfrentar a cruz em vez de permitir que perecêssemos como conseqüência de abusarmos dele.

Que engano básico Adão e Eva cometeram? Com o conhecimento de seus erros, como podemos evitar fazer o mesmo em nosso contexto? Como devemos enfrentar tentações semelhantes?

 

(Estudo elaborado por Allan Handysides, Kathleen Kuntaraf, Peter Landless, Stoy Proctor, Thomas Zirkle.)

 

Voltar

Procurar no site

Pr.Reynaldo Aécio Bonfim © 2010 Todos os direitos reservados.